04 March, 2009

“A minha graça te basta, o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (II Cor. 12:9).

Acho estranhamente confortador saber que quando Jesus enfrentou o sofrimento, reagiu como eu. Ele não orou no Jardim: “Ah, Senhor, sinto-me tão grato por teres me escolhido para sofrer por ti. Que privilégio!”. Não! Ele experimentou tristeza, medo e abandono. Contudo, ele suportou porque sabia que podia confiar no Deus de amor.

Como disse C.S.Lewis, “podemos até desejar que tivéssemos tão pouca importância para Deus, que ele nos deixasse em paz a fim de seguirmos nossos impulsos naturais, mas com isto estaríamos pedindo menos amor e não mais de sua parte. Pedir que o amor de Deus se contente conosco como somos é o mesmo que pedir que Deus deixe de ser Deus”. (...) Deus nos abandona entregando-nos à própria sorte? Não. O Senhor da eternidade já sentiu o impacto dos punhos e da saliva em sua face, sentiu a madeira áspera rasgando as suas costas ensangüentadas, ouviu os gritos zombadores de uma multidão que o desafiava. Por isso Jesus não é uma religião, mas Deus conosco. Isso implica num relacionamento que transcende a instituição e invade o espaço sideral, a eternidade e o paraíso."

Para ler mais clique aqui.

6 comments:

O PENSADOR said...

Quanto tempo hein? Bem vindo de volta!

Gabriela Liebert Marold :) said...

Ele foi humano como eu!
Contudo não pecou... Por isso Ele foi - e sempre será - o cara!

Caio Kaiel said...

Olá Ricardo, quero voltar a postar, apesar de nunca termos deixado de sermos "Pensadores"... vou passar no teu blog para me inspirar. Obrigado.

Olá Gabi, eu procurei mostrar o quanto o Deus Presente nos entende, mesmo em nossas dificuldades e, além disso, nossas dificuldades podem nos fazer melhores... a dúvida não se opõe à Fé, ao contrário, a impulsiona e torna a Fé em obras... por outro lado, o contrário de Fé chama-se medo. Obrigado pela visita.

John Lennon said...

Ele voltou, dá-lhe Caio Kaiel. Espero que seja pra ficar.

Abração meu velho!!!!!!!!!!

Rodrigo Santos said...

É realmente estranhamente reconfortante !!!!!
Me faz perceber q não fui chamado para ser super crente, mas para ser super dependente dEle, ai um dia na gloria serei super ja glorificado!!
POr enquanto uma simples e total dependencia e necessidade !

Samuel Rezende said...

Que bom te reencontrar por aqui, Pescador Pensador.
A semelhança do salmão que volta a origem para desovar, Caio retorna ao blog.
Fiquei confuso entre o pescador e a pesca, mas o importante é que és mais do que uma criatura de Deus, seu filho em Jesus Nosso Senhor.
Graça e paz.